FESTIVAL DE DANÇA CONTEMPORÂNEA

Noticias   algures a nordeste   2 1 480 280
09 A 30 DE SETEMBRO - 2017


- PROGRAMA / ROTEIRO - pdf -

Os Teatros Municipais de Bragança e Vila Real preparam uma rentrée que vai surpreender a região. Durante o mês de Setembro tem lugar a primeira edição do FESTIVAL DE DANÇA CONTEMPORÂNEA ALGURES A NORDESTE, que apresenta produções de algumas das melhores companhias portuguesas. São 15 espectáculos de entrada gratuita, com diversas linguagens coreográficas, de 9 a 30 de Setembro, com pré-abertura a 6. Posteriormente, em Outubro e Novembro, estreiam VESTÍGIO e BARRO, duas criações originais inspiradas no património e no imaginário cultural da região.

Com o projecto Algures a Nordeste os Teatros Municipais de Vila Real e Bragança assumem uma maioridade artística que consolida um percurso de mais de uma década, período em que as duas estruturas desempenharam um papel de relevo no panorama nacional das artes performativas.

O projecto decorre sob a égide da obra homónima e emblemática do escritor e poeta A. M. Pires Cabral e propõe-se colocar a linguagem e a imagética da dança contemporânea e do teatro ao serviço de uma operação de atractividade do território e de divulgação de aspectos singulares do património cultural transmontano-duriense.

A primeira manifestação do projecto tem lugar durante o mês de Setembro e oferece à região um inédito festival de dança contemporânea. Na sua edição inaugural, o Festival Algures a Nordeste apresenta nas duas capitais de distrito oito espectáculos, em 14 sessões, de cinco das mais reconhecidas companhias da cena artística nacional. Passam pelos dois palcos coreografias marcantes de Olga Roriz, Victor Hugo Pontes, São Castro, Nélia Pinheiro e Daniel Cardoso. Paralelamente, realizam-se workshops e encontros com os coreógrafos, mediante inscrição gratuita dos interessados.

Nos meses de Outubro e Novembro desenvolvem-se duas criações originais promovidas pelos dois Teatros. A primeira, Vestígio, com direcção artística de Joana Providência/Teatro do Bolhão, tem estreia absoluta em Bragança a 27 de Outubro e é uma viagem a Trás-os-Montes através da obra do fotógrafo Georges Dussaud. Menos de um mês depois, a 17 de Novembro, estreia em Vila Real Barro, uma produção dirigida por Mafalda Deville/Companhia Instável e inspirada no imaginário cultural do Barro Negro de Bisalhães e do Barro de Pinela. Tem estreia absoluta por ocasião do primeiro aniversário da inscrição do Barro de Bisalhães na Lista de Património Cultural Imaterial da UNESCO. Ambas as criações, com residências artísticas a decorrer ao longo do ano, envolvem a comunidade local e são apresentadas nas duas capitais de distrito.

Para divulgação do programa e das actividades do projecto Algures a Nordeste foi concebida uma agenda que é simultaneamente, no seu reverso, um roteiro patrimonial e turístico dos dois concelhos e da região. Faz-se assim um convite a viajar pelo Nordeste português, juntando numa mesma visita o património histórico e natural de um território magnético e um programa artístico de excelência.

 

 

Algures a Nordeste – Projecto para a Promoção do Território Cultural do Nordeste Português é promovido pelos Municípios de Vila Real e Bragança e co-financiado
pelo programa Norte 2020. Tem o apoio à divulgação da Antena 2.